Quem somos

Página inicial

QUEM SOMOS?

Somos, pela graça de Deus, católicos apostólicos romanos. E nesta Fé Católica queremos viver e morrer, porque só nesta Igreja se honra a Deus, e “fora dEla não há salvação”.

Professamos perfeita comunhão com a Cátedra de Pedro e com o Santo Padre, o Papa Bento XVI, de quem reconhecemos o Primado e o governo sobre a Igreja. Aceitamos o Papa e o nosso Arcebispo Metropolitano Dom Luiz Mancilha Vilela por ele nomeado, pelos quais rezamos em todas as missas.

Rejeitamos toda e qualquer idéia de cisma e reafirmamos nossa plena comunhão com a Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

E, pelo amor que temos à Santa Igreja, recusamos de nos tornar cúmplices de sua autodemolição, ou seja, da destruição sistemática dos princípios católicos, efetuada pelo modernismo-progressismo, muitas vezes patrocinada até por pessoas de autoridade na Igreja.

Por isso, procuramos guardar a Tradição católica, doutrinária, moral e litúrgica, que a Igreja sempre guardou e ensinou.

Conservamos a Santa Missa tradicional, segundo o rito de muitos séculos, tornada universal pelo Papa São Pio V, Missa repleta de santidade e piedade, da qual os santos participaram, e que é, além de um sacrifício oferecido a Deus, uma clara profissão de Fé católica nos dogmas eucarísticos, que distingue o católico do protestante.

Por isso, não adotamos a nova liturgia da Missa (Novus Ordo Missae), ou missa nova, porque ela obscurece os dogmas eucarísticos, é ambígua, aproxima-se da ceia protestante e não representa uma clara profissão de Fé católica.

Rejeitamos toda protestantização e mundanização da Igreja, principalmente da Santa Missa: o sentimentalismo dos cânticos, o altar em forma de mesa, a posição do padre apenas como um presidente ou animador da assembléia, as “showmissas” com coreografias e danças, palmas e ritmos modernos, que mais parecem um programa de auditório e que são contra a orientação tradicional sempre dada pela Igreja.

Os nossos sacerdotes conservam a batina, sinal de consagração a Deus e separação do espírito do mundo.

Conservamos o latim na liturgia, “claro e nobre sinal de unidade e um eficaz antídoto contra todas as corruptelas da pura doutrina” (Papa Pio XII) e proteção aos sagrados mistérios. É claro que as leituras, os hinos, o sermão e as explicações da Missa podem ser em português.

Quanto ao comportamento e às vestes na igreja, seguimos as normas dadas pela Santa Sé:

Silêncio e respeito: no recinto na igreja não se conversa. Os cumprimentos (parabéns e pêsames) devem ser dados na saída, fora da igreja.

Modéstia nos trajes: Senhoras, moças e meninas devem usar saia ou vestido, que cubra os joelhos, de mangas e sem decotes; e nas cerimônias devem usar o véu. Os homens não devem entrar na igreja de camisetas ou de bermudas.


%d blogueiros gostam disto: