a. Liberdade Religiosa

Página inicialCrise da IgrejaVaticano II

LIBERDADE RELIGIOSA

“A liberdade religiosa, proclamada no Concílio Vaticano II (1962-1965), favorece o pluralismo religioso e induz a uma equiparação de direitos entre a verdade e o erro, dando o primado a um suposto direito subjetivo do homem, independentemente dos direitos absolutos da verdade, do bem e de Deus e conduz, em consequência, à laicização do Estado, tornando-o agnóstico em relação à verdadeira Igreja” (do Informe doutrinário).

– O Conceito de liberdade religiosa na Dignitatis Humanae
Dom Antônio de Castro Mayer mostra como Vaticano II contraria o ensino constante da Igreja.

A declaração “Dignitatis Humanae” é compatível com a Doutrina Católica Tradicional? – Pe. Pierre-Marie, O.P.
Análise da Declaração Dignitatis Humanae. O autor mostra que é impossível conciliá-lo com a tradição sem negar a indefectibilidade e a infalibilidade da Igreja.

–  La libertad religiosa (Lumen Gentium, Dignitatis Humanae)
Áudio-Conferência do Pe. Ricardo Félix Olmedo, FSSPX.


%d blogueiros gostam disto: