Comentários Eleison 195 – Nova Igreja Novos Beatos

Página inicialEleison Comments

NOVA IGREJA NOVOS BEATOS

ELEISON COMMENTS CXCV (09 de abril de 2011)

– Formato para impressão (em PDF).

No dia 1º de maio, daqui a algumas semanas, João Paulo II será declarado “Beato” pelo Papa Bento XVI, em uma grande celebração na Praça de São Pedro, em Roma. Mas os católicos que se agarram à Tradição sabem que João Paulo II, na verdade, foi um grande promotor da Igreja Conciliar, um destruidor efetivo da Igreja Católica. Portanto, como pode ser declarado “Beato”, o último passo antes da canonização, quando as canonizações da Igreja são infalíveis? A resposta rápida é que João Paulo II não será beatificado como um Beato católico, através de uma beatificação católica na Igreja Católica, mas como um “Neobeato”, através de uma “Neobeatificação” da “Neoigreja”. E os “Neoprelados”, primeiros a anunciar a novidade daquilo que fazem, são os últimos a reivindicar a infalibilidade.

Ilustremos a natureza da Nova Igreja através de uma comparação oriunda da vida moderna. A gasolina pura cheira, tem sabor e atua como gasolina. Esta pode fazer com que um carro funcione. A água pura cheira, tem sabor e atua como água. A água não pode fazer com que um carro funcione. A gasolina misturada com apenas um pouco de água ainda pode cheirar e ter gosto de gasolina, mas já não atua como gasolina — não pode ser usada para acionar um carro. A água lhe tirou sua capacidade de combustão.

A gasolina pura é comparável ao Catolicismo puro — altamente inflamável! A água pura, em nossa comparação, é como o humanismo secular puro; o que será da Religião global, sem qualquer traço de Catolicismo nela? O Catolicismo e o humanismo secular foram misturados no Concílio Vaticano II e em seus 16 documentos. Temos, então, que o Conciliarismo, ou Neo-Catolicismo, ainda pode ter cheiro e gosto de Catolicismo, o suficiente para fazer com que os “bons católicos” esperem que as beatificações Conciliares se coloquem no caminho da infalibilidade, como faziam as beatificações na Igreja pré-Conciliar, mas na verdade uma pequena mistura de humanismo secular foi suficiente para que o Catolicismo deixasse de funcionar, assim como não precisa de muita água para que a gasolina já não faça combustão.

Portanto, as novas beatificações para os olfatos Católicos desprevenidos podem ter gosto e cheiro de beatificações católicas, mas quando examinadas mais de perto fica evidente que não são a mesma coisa. Um exemplo claro: uma beatificação Católica anteriormente requeria dois milagres distintos, enquanto que a Neobeatificação requer apenas um. E as regras da Neobeatificação estão significativamente relaxadas em várias outras formas também. Portanto, da Neobeatificação nenhum Católico deve esperar nada diferente do que um Neobeato. João Paulo II era de fato um “Beato” do Concílio.

O que engana os Católicos são os elementos do Catolicismo que ainda permanecem na Igreja Conciliar. Mas assim como o Vaticano II foi concebido para substituir o Catolicismo (gasolina pura) pelo Conciliarismo (gasolina-água), da mesma forma o Conciliarismo foi projetado para dar lugar — digamos assim — a uma Religião Global (água pura). A procissão vai de Deus para o Neodeus e deste para o Nãodeus. Hoje, ainda temos a NeoRoma empurrando o Neodeus do Vaticano II com os Neobeatos que lhe correspondem, mas não vai demorar muito para que verdadeiros criminosos sejam os “Beatos” do Nãodeus.

Mas o verdadeiro Deus não vai deixar que aquelas ovelhas que não querem ser enganadas o sejam. Nem abandonará uma única alma que não o tenha abandonado antes, diz Santo Agostinho. Citação maravilhosa!

Kyrie eleison.