Comentários Eleson 160 – “Universidades” – Remédios I

Página inicial > Eleison Comments

“UNIVERSIDADES” – REMÉDIOS I

ELEISON COMMENTS CLX (07 de agosto de 2010)

– Formato para impressão (em PDF)

“Está certo, Vossa Excelência,” eu posso ouvir os pais dizendo, “as “universidades” estão totalmente devastadas. Mas, da mesma forma, Vossa Excelência tem de admitir que quase todos os outros lugares também estão. Então, o que devemos fazer com nossas crianças? A lei de Deus nos proíbe de usar meios ilegais para impedir a sua chegada. Elas chegam. E depois?”

A resposta rápida é que no pior mundo que já existiu, as almas que queiram chegar ao céu terão que ser as mais heróicas que já existiram, mas sua recompensa será proporcionalmente a maior que já existiu.

Pio XII disse que o mundo em sua época estava pior do que no tempo de Sodoma e Gomorra, e ele morreu em 1958! O que ele diria hoje? Enfrentando o mesmo problema, os papas que o seguiram mudaram as regras do jogo no Vaticano II, para não terem que continuar condenando, condenando, condenando. Mas aquele era o caminho mais fácil. Desligar o alarme não é o mesmo que apagar o incêndio. A Igreja e o mundo estão ardendo em chamas, e a primeira coisa que os pais devem fazer é encarar o problema: há um grande perigo para a salvação eterna de seus filhos.

Uma vez compreendido tal perigo, sua fé católica vai dizer-lhes que eles não podem tomar o atalho conciliar, nem qualquer outro atalho, eles devem lutar heroicamente. “Nós não vamos chegar ao céu em camas de penas”, disse São Tomás Morus. Nosso Senhor disse: “Aquele que quiser ser meu discípulo, tome a sua cruz e siga-me” (Mt.XVI, 24), e “Aquele que perseverar até o fim, será salvo” (Mt. XXIV , 13). Os pais devem estar certos de que, para salvar as almas de seus filhos, precisarão ser heróis, logo, heróis eles serão. Nesse ponto, como diz o provérbio: “Where there’s a will, there’s a way” (“Onde há uma vontade, há um jeito”, tradução livre), então uma vez que o amor dos pais tem a vontade, ele vai encontrar um jeito, dentro e fora de casa.

Sobre o que fazer fora de casa, veja os “Comentários Eleison” da próxima semana sobre alternativas à “universidade”. Para dentro de casa, qualquer sacerdote digno desse nome lhes dirá para começar por estabelecer firmemente em seu lar o Rosário em família, e continuar por expulsar a televisão de suas casas que é um tabernáculo do mundo, da carne e do Diabo. Desde a mais tenra idade, deixe os corações e mentes das crianças serem preenchidos em casa com o intercâmbio vivo e o debate animado sobre tudo que há debaixo do sol. Isso porque quando as crianças estiverem em idade para ingressar na “universidade”, a sorte já terá sido lançada, para o bem ou para o mal, de modo que se um garoto cresceu em um lar de verdade, elevado ao céu pela oração, o pior que há nas “universidades” não poderá fazê-lo muito mal, enquanto que se ele foi criado como um teleidiota, a melhor universidade não poderá elevá-lo muito em direção ao céu. 

Observe que o EC 158 não disse aos pais para nunca pagarem uma “universidade” para seus rapazes. Ele disse para pensar bem antes de fazê-lo. Se os pais têm de pensar muito enquanto o menino ainda é jovem, então sua fé deveria dizer-lhes como a vida em casa precisa ser mudada, e rápido. Como diz São Paulo (I Cor. II, 9), citando Isaías (LXIV, 4), o Céu vale infinitamente todo o esforço, superando infinitamente até mesmo a mais selvagem imaginação humana.

Kyrie eleison.

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: