Comentários Eleson 159 – Utilidade das discussões II

Página inicial > Eleison Comments

UTILIDADE DAS DISCUSSÕES II

ELEISON COMMENTS CLIX (31 de Julho de 2010)

– Formato para impressão (em PDF)

Algumas pessoas devem ter se perguntado se o autor dos “Comentários Eleison” sofreu algum tipo de pressão para citar três semanas atrás (EC 156) os argumentos do Bispo Dom de Galarreta em favor das discussões doutrinárias em curso entre Roma e a Fraternidade de São Pio X. A resposta é que não houve nenhum tipo de pressão. Então, talvez, o comentador Eleison esteja ficando com o miolo mole? A resposta é: não mais mole do que de costume.

A razão de os leitores terem se feito tal pergunta está em os “Comentários” mais de uma vez terem alegado haver pouca esperança de que saia algum acordo das discussões, pelo mesmo motivo de não se poder misturar óleo com água. Se você agitar freneticamente uma garrafa contendo ambos, o óleo e a água parecerão se misturar, mas ao parar, água e óleo se separarão novamente. É da natureza de ambos. Sendo mais leve, o óleo é obrigado a flutuar por cima da água.

Da mesma forma, é da natureza da doutrina divina da verdadeira Igreja e da doutrina humanista neo-modernista serem incapazes de se misturarem. A “letra” ou os documentos do Vaticano II tentaram misturar as duas, mas nem mesmo as obras-primas do Vaticano II em matéria de mistureba, como a “Dignitatis Humanae” sobre a liberdade religiosa, poderiam obter êxito nessa tentativa, como foi demonstrado pelas conseqüências do Vaticano II, em consonância com seu “espírito”. E esse “espírito do Concílio” está despedaçando a Igreja até hoje. A “hermenêutica da continuidade” de Bento XVI é uma fórmula para continuar a agitar freneticamente, ou talvez devêssemos dizer agitar decididamente, mas a religião de Deus e a religião do homem ainda não podem se misturar. Elas ainda se repelem.

Então porque os “Comentários” citaram o Bispo Dom de Galarreta em favor das discussões? Por duas razões. Em primeiro lugar, em nenhum de seus argumentos – leia-os cuidadosamente – ele supõe ou espera que o óleo e a água possam ser misturados. Pelo contrário, quando ele disse esperar que as discussões tenham acabado na primavera do próximo ano, ele certamente concluiu que a garrafa não deve ser agitada indefinidamente, principalmente se isso viesse a criar em alguém a ilusão de que o óleo e a água possam eventualmente ser misturados. Em segundo lugar, todos os seus argumentos mencionaram efeitos colaterais das discussões, os contatos que elas trazem entre Roma e a FSSPX agindo como anti-congelante, tanto no radiador dos romanos que desejam desprezar a FSSPX, como no radiador dos membros da FSSPX que desejam desprezar Roma.

O comentarista Eleison tem a honra de concordar com seu colega em que os contatos Roma-FSSPX são bons para a Igreja Universal, enquanto não existir nenhuma possibilidade de a FSSPX falhar em sua missão providencial de ajudar a guardar da Roma de hoje o Depósito da Fé para quando a Roma de amanhã voltar a seu perfeito juízo católico. “Passará o céu e a terra”, diz o Senhor, “mas as minhas palavras não passarão” (Lc. XXI, 33). Que Deus jamais permita à FSSPX juntar-se à Roma de hoje, o que seria o mesmo que misturar o óleo de Deus com a água do homem!

Mãe de Deus, mantende-nos fiéis à nossa missão!

Kyrie eleison.

Anúncios