Declaração de N.S. da Penha como padroeira


Página inicial > Nossa Senhora da Penha




DECLARAÇÃO DE N.S. DA PENHA COMO PADROEIRA


Declaração do Vaticano na qual se coloca toda a Diocese do Espírito Santo sob a proteção da Santíssima Virgem Maria, sob o título popular da Penha.

Formato para impressão (em PDF)


PEDIDO FEITO PELO BISPO BISPO D. FERNANDO AO PAPA

Despacho


“Do Espírito Santo no Brasil”


Desde os tempos mais remotos os fiéis cristãos da Diocese do Espírito Santo acompanham com grande cuidado (carinho) o exercício da devoção à Santíssima Virgem Mãe de Deus sob o título popular da Penha, cuja imagem pintada num quadro de madeira foi primeiramente exposta à veneração pública no ano de 1558, e em seguida colocada no templo sobre um alto monte (situado à entrada do porto de Vitória) generosamente construído e dedicado à Imaculada Mãe de Deus sob o título de Penha da Cidade de Vitória que é a sede episcopal da celebre Diocese. Por motivo dessa insigne piedade e como a Diocese do Espírito Santo ainda não gozasse de um celeste Patrono, o clero e o povo relembram o decreto de Urbano VIII, de 23 de março de 1630, escolhendo a Santíssima Virgem Maria sob o título da Penha, como sua principal protetora junto a Deus e apelam com suplicantes votos para o Revmo. Sr. Dom Fernando de Souza Monteiro, Bispo do Espírito Santo, para que consiga essa confirmação apostólica do Santíssimo Padre Pio X. Por conseguinte, essa piedosa súplica, sendo deste modo exposta ao abaixo assinado – Cardeal Prefeito da Sagrada Congregação dos Ritos, por sua suprema autoridade constituiu e declarou a Santíssima Virgem Maria, sob o título popular da Penha, principal padroeira de toda a Diocese do Espírito Santo, no Brasil; com todos os privilégios e honras atribuídas à mesma padroeira, que competem por direito aos principais patronos; assinado na festa da mesma Santíssima Virgem Maria da Penha, segunda-feira depois da oitava da Páscoa, conforme entrou em voga o memorável costume de celebrar a mesma festa nesse mesmo lugar.
A não ser que se mande o contrário.


Dia 27 de novembro de 1912
(as.) Card. Martinelli – Prefeito
Pedro Lafontaine”

Anúncios